LOOMA – PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE DE MADEIRA

Para manter altos níveis de produção, a Fibria precisa movimentar insumos florestais com eficiência. Por isso implantou um sistema capaz de realizar o planejamento otimizado do transporte de madeira, considerando as características únicas da operação. Avaliando a densidade do mix de madeiras demandado pela unidade produtiva, o sistema realiza o planejamento tático, operacional e das movimentações de pátio, conseguindo diminuir o tamanho da frota contratada, o número de movimentações de baldeio e o tempo de espera no pátio. O sistema foi implantado nas unidades de Jacareí e Três Lagoas.

CONTEXTO

No começo da cadeia produtiva da produção de celulose encontra-se o problema de abastecimento de madeira. O suprimento de madeira compreende, em poucas palavras, as seguintes etapas: uma vez determinado o momento de corte de cada unidade de produção, precisa-se determinar o momento de transporte da madeira, a utilização da frota de caminhões, o destino final de cada carga e a utilização de equipamentos na planta, de maneira a disponibilizar as quantidades de madeira demandadas pela fábrica com as propriedades (densidade e MIX) dentro dos intervalos especificados.

Este complexo processo decisório tem ainda o fator complicador das chuvas, que dificultam o acesso dos caminhões às fazendas e alteram as taxas de carregamento de madeira nos caminhões.

Tendo como meta fundamental o atendimento do mix de madeira na fábrica e considerando custos de plantio, manutenção, corte, reforma, exploração, transporte, assim como a distribuição e movimentação de máquinas de corte, qualidades das madeiras e volumes disponíveis em cada gleba, condições das estradas em diferentes períodos do ano, dentre outros elementos que compõem o problema nos seus diferentes níveis decisórios, objetiva-se minimizar custos, maximizar margem, maximizar volume ou alguma combinação ponderada desses objetivos.

Assim, planejamentos adequados nos níveis tático (anual), operacional (mensal) e curtíssimo prazo (diário) assumem grande importância devido aos grandes impactos nos custos e na produtividade do processo.

SOLUÇÃO

A Gapso desenvolveu um sistema de planejamento avançado para apoiar a difícil tarefa de planejar e programar os diversos componentes do suprimento de matéria-prima das plantas de produção de celulose.

O LOOMA É COMPOSTO POR TRÊS MÓDULOS:

Módulos

Módulo de Planejamento Tático (MPT): permite determinar, para um horizonte de um ano e granularidade mensal, o sequenciamento ótimo de projetos e de talhões em cada projeto, de maneira a atender o mix de madeira solicitado, minimizando o custo de transporte e o custo de movimentação, levando em consideração as características das fazendas, características da frota, custos de transporte, perfil pluviométrico de cada mês, curvas de secagem das madeiras, capacidades e políticas de estoque.

Módulo de Planejamento Operacional (MPO): permite determinar, para um horizonte de 30 dias e granularidade diária, a programação que minimiza o custo de transporte e o custo de movimentação dos equipamentos de pátio. Isto é: os volumes a serem transportados por unidade de produção para picagem e para estoque (assim como os volumes a serem baldeados do estoque para picagem) e a programação de atividades de cada caminhão da frota, a partir da demanda da fábrica (volume e mix de densidade), características das fazendas, características e situação no estado inicial da frota, custos de transporte, perfil pluviométrico do mês, curvas de secagem das madeiras, capacidades dos equipamentos de pátio, políticas e situação no estado inicial do estoque.

Módulo de Planejamento do Pátio (MP2): permite determinar, para um horizonte de planejamento de 6 a 8 horas, o destino dos caminhões no pátio que minimiza o custo de movimentação e o tempo de fila, atendendo o mix de consumo da fábrica e considerando disponibilidade de equipamentos (grua, mesas de picagem, caminhoes para baldeio), situação do estoque e do mix e chegada de caminhões.

 

O planejamento anual feito pelo MPT, ou seja, a frota de caminhões e os volumes a serem transportados de cada unidade de produção em cada mês do ano, são migrados para o MPO. A partir desses dados de entrada, o MPO gera uma programação especificando as viagens do mês de forma a realizar o transporte dos volumes planejados pelo MPT para o mês em questão. Uma vez planejadas as viagens, a programação de cada dia é exportada para o MP2 que receberá os caminhões e decidirá o seu destino dentro do pátio de madeiras.

BENEFÍCIOS

  • Assertividade de previsão da frota
  • Melhor previsão do mix de abastecimento
  • Uniformidade de abastecimento
  • Redução do custo de movimentação do pátio interno
  • Diminuição da ociosidade/gargalo da frota de caminhões
  • Redução do custo anual de transporte
topo